Sobrinhas do governador de MT ficam reféns por 20 horas

Duas sobrinhas do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PPS), foram mantidas reféns por 20 horas neste fim de semana em Rondonópolis, a 210 quilômetros de Cuiabá, sul do Estado. Cinco homens teriam participado do seqüestro de Sabrina, de 15 anos, e Andressa Maggi, 16. As duas foram libertadas no domingo à tarde após o pagamento do resgate - R$ 40 mil -, segundo a família, que só hoje pediu para a polícia investigar o crime. As duas adolescentes prestaram depoimento na polícia na hoje de manhã. Eles informaram que foram rendidas pelo bandidos por volta das 23h de sábado, enquanto passeavam num Audi preto na Avenida Presidente Médici, onde ocorria o pré-carnaval de rua da cidade. Elas haviam deixado a casa do governador, no bairro Birigüi, minutos antes do seqüestro. Investigadores da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) da Secretaria de Segurança Pública não revelaram detalhes do caso para não atrapalhar as investigações, mas esperam deter em breve os integrantes da quadrilha. "Estamos acompanhando tudo desde o começo, mas ainda não podemos divulgar nada. O que temos até o momento são informações primárias e buscamos indícios que nos levem até os seqüestradores", informou o delegado Luciano Inácio da Silva. Um amigo da família informou que os seqüestradores chegaram a pedir R$ 700 mil pelo resgate. Em outra ligação para a família, os bandidos reduziram o valor para R$ 300 mil. A polícia, porém, confirmou apenas o pagamento de R$ 40 mil pela libertação das meninas, que foram deixadas nas proximidades do Parque de Exposições de Rondonópolis, na MT-270. "Eles mostraram que não têm estrutura para praticar seqüestro" disse o delegado Carlos Cunha, da Divisão Anti-Seqüestro. A pedido da polícia, os parentes não devem, por enquanto, comentar sobre o caso antes da prisão dos seqüestradores. Segundo o delegado regional da Polícia Civil de Rondonópolis, Clovilton Miranda, todos os familiares que mantiveram contato com os bandidos serão ouvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.