Sociedade Bíblica do Brasil (SBB)
Sociedade Bíblica do Brasil (SBB)

Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) atinge marca de 156,5 mi de bíblias publicadas

Desse total, 30,7 mi de exemplares foram exportados

José Maria Mayrink, O Estado de São Paulo

30 Outubro 2017 | 03h00

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), fundada sob orientação luterana em 1948, atingiu este ano as marca de 156,5  milhões de Bíblias publicadas, Antigo e Novo Testamento. Desse total, 30,7 milhões foram exportados.

Seus principais clientes são as igrejas evangélicas, de todas as denominações. Mas a editora fez parceria também com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para uma edição ecumênica, que inclui os livros rejeitados pelo reformador Martinho Lutero, do século 16, como não canônicos, mas reconhecidos pelos católicos.

A SBB publicou, em fevereiro deste ano, a Bíblia de Estudo da Reforma, em comemoração dos 500 Anos da Reforma Protestante. A edição traz uma biografia de Lutero, além de 40 mil notas de rodapé e reflexões do reformador na introdução dos livros bíblicos.

A Bíblia Sagrada com Reflexões de Lutero, com 900 reflexões do reformador, foi lançada pela SBB em 1912. Inclui ainda hinos evangélicos, com letra e música do alemão.

Mais conteúdo sobre:
religiãoMartinho Lutero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.