Solução de dissídio fica para o dia 29

Ficou para o dia 29 a solução do dissídio da Polícia Civil de São Paulo, que está sendo analisado pelo Tribunal Regional do Trabalho. Os policiais rejeitaram ontem a proposta apresentada pelo governo de extinção da 5ª classe, com a conseqüente elevação do piso salarial da categoria em 27%. Os policiais consideram pouco, pois dizem que só 10% dos 35 mil policiais seriam beneficiados. O governo recebeu as propostas dos policiais e vai analisá-las. "Infelizmente, as reivindicações continuam irreais", disse o secretário de Gestão, Sidney Beraldo. No dia 29, uma nova reunião de negociação vai ocorrer. O prazo final para a negociação, antes do julgamento do dissídio, é 4 de setembro. "Até lá, não haverá nova paralisação dos policiais no Estado", disse André Dahmer, diretor da Associação dos Delegados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.