Solução seria regionalizar

Para evitar sobrecarga no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico do Estado (Condephaat), especialistas sugerem dividir a análise de processos em diferentes divisões administrativas. "Se há identidade cultural semelhante, ela deve ser aproveitada. Um conselho do litoral, por exemplo, analisaria o patrimônio natural das praias, suas construções típicas, e assim por diante", afirma a historiadora Marly Rodrigues, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). "Até por ter ocupação recente, do final do século 19, a consciência de preservação do interior ainda está se formando. Enquanto não há essa tradição, o Estado deve se encarregar de proteger seus bens, com viagens constantes ao interior", diz o historiador Marco Antonio Villa, autor do inédito livro Breve História de São Paulo. "Se o problema é sobrecarga na capital, a solução seria criar órgãos estaduais no interior." Segundo a Secretaria de Estado da Cultura, não há nenhum projeto de regionalização do Condephaat.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.