Sombra depõe hoje no caso Santo André como réu

O empresário Sérgio Gomes da Silva, o Sombra - que está preso sob a acusação de ser o mandante do assassinato do prefeito de Santo André Celso Daniel (PT) - será interrogado hoje, a partir das 13 horas, pelo juiz Luiz Fernando Migliori Prestes, da 1.ª Vara Judicial de Itapecerica da Serra (SP). Esta será a primeira vez em que Gomes será ouvido como réu pela morte de Celso Daniel. Para o Ministério Público Estadual (MPE), o prefeito foi morto porque teria descoberto um esquema de corrupção na prefeitura. A defesa do empresário - a cargo dos criminalistas Roberto Podval e Adriano Salles Vanni - chegou a afirmar que Gomes não responderia às perguntas do juiz. Os advogados reclamavam que não conseguiam ter acesso ao processo, o que acabou sendo solucionado pelo juiz, que adiou o depoimento para hoje - ele havia sido marcado para a última sexta-feira - e autorizou os defensores a retirarem os autos do cartório por 48 horas. O empresário, que tem curso superior, está na Cadeia de Juquitiba, Grande São Paulo. Podval disse ao Estado que Gomes vai depor, mas não quis adiantar quais serão as ações da defesa na audiência. Recente mudança no Código de Processo Penal vai permitir que tanto o MPE quanto os advogados façam perguntas ao réu. Antes, o interrogatório de acusados era um ato privativo do juiz. Os promotores do Grupo de Atuação Especial Regional para a Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco) de Santo André, Reynaldo Carneiro, Amaro Thomé Filho e Roberto Wider, os autores da denúncia, passaram a semana à espera do depoimento. A investigação do MPE, que ainda busca provas de envolvimento de outras pessoas no crime - entre os mandantes e executores - ficou praticamente parada na semana passada à espera do depoimento de Gomes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.