Sorocaba busca recursos para restaurar Mosteiro de São Bento

A Ordem Beneditina apresentou projeto ao Ministério da Cultura visando obter recursos para a restauração do Mosteiro de São Bento, conjunto arquitetônico de mais de 300 anos, marco da fundação de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo. O projeto do restauro foi aprovado esta semana pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat). O prédio principal do mosteiro é um dos poucos que mantém características do barroco colonial em São Paulo, com paredes de taipa socada, janelões bandeirantistas e telhas em calha feitas à mão. Integram o conjunto a capela do monastério e a igreja de Sant´Anna, cujo altar-mór, esculpido em madeira, é folheado com ouro, a exemplo das igrejas mineiras e baianas do mesmo período. A reforma, dividida em fases, inclui troca de telhas e reforço nas estruturas do prédio, atingidas por infiltrações. Instalações elétricas e hidráulicas serão refeitas. O custo dessas intervenções está avaliado em mais de R$ 1 milhão. O acervo, composto por pinturas e imagens sacras, esculturas em madeiras e altares, também será restaurado. Uma equipe de pesquisadores já concluiu os trabalhos de prospecção histórica do conjunto, com o levantamento de tintas, argamassas e materiais originais da construção. A recuperação do mosteiro faz parte do projeto de revitalização do centro de Sorocaba. A Catedral de Nossa Senhora da Ponte, que fica também no circuito central, está sendo restaurada. A parte externa já foi concluída. A prefeitura inaugurou hoje as obras de reurbanização do entorno. O projeto inclui a troca do piso e a instalação de um sistema de projetores que iluminam a torre, os sinos e detalhes da arquitetura do prédio. A igreja foi protegida com grades e teve recuperada a pintura original, em tons dourados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.