Sorocaba inicia obra para tratar 60% do esgoto

No prazo de um ano, 60% do esgoto coletado em Sorocaba e despejado no rio que dá nome à cidade estará sendo tratado. Esse é o prazo de conclusão da primeira estação de tratamento prevista no projeto de despoluição do Rio Sorocaba - e as obras começaram nesta sexta-feira. A unidade de tratamento, localizada no bairro Retiro São João, na margem direita do rio, vai custar R$ 26,8 milhões. O projeto prevê a construção de outras quatro estações menores para tratar o esgoto coletado em bacias secundárias. A despoluição do rio, que passa por 32 municípios, vai custar R$ 80 milhões. Além das verbas da prefeitura, o projeto está sendo custeado com recursos federais a fundo perdido e financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF). Cerca de R$ 18 milhões foram empregados na instalação de 19 quilômetros de emissários ao longo do rio e na construção de 12 estações elevatórias. O tratamento será feito pelo método de dupla decantação, com a remoção do material orgânico sólido. A eficiência é de 95% e o sistema é quase inodoro. Segundo a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), 87% dos poluentes do Rio Sorocaba provêm dos esgotos domésticos. Os 13% restantes são industriais.

Agencia Estado,

06 Junho 2003 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.