Sorocaba registra segunda morte por causa da chuva

O corpo do catador Antonio José Ferreira, de 68 anos, que estava desaparecido desde segunda-feira, depois de ter sido arrastado pelas águas de um córrego no Jardim Hungarês, em Sorocaba, foi resgatado hoje pelo Corpo de Bombeiros da cidade. O cadáver apareceu boiando em um córrego no bairro Santa Marina, a 2 quilômetros do local do acidente. Com isso, sobe para dois o número de mortes causadas pela chuva na cidade - na terça-feira, a dona de casa Sonia dos Santos Lemos Pinho, de 31 anos, morreu ao ser atingida por um raio. Quando procuravam pelo catador, os bombeiros encontraram outro corpo no Rio Sorocaba, mas de uma pessoa mais jovem. Ainda não se conhecem as circunstâncias da morte. Na cidade, cerca de 300 mil pessoas continuam sem água por causa do rompimento de uma adutora. Moradores fazem fila numa fonte localizada na Praça Márcia Mendes, no Jardim Vera Cruz, para apanhar água em uma bica. Outras minas estão sendo usadas na Vila Angélica e no Jardim Arco Íris, mas a água não é potável. Empresas estão liberando poços artesianos para atender a população. Equipes do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE) trabalham em tempo integral na recuperação da adutora. O diretor-geral, Pedro Dal Pian Flores, prevê concluir os reparos em 48 horas. O rompimento de uma adutora também deixou sem água cerca de 15 mil moradores de Votorantim, cidade da região. A tubulação foi arrastada pela cheia do Rio Sorocaba. O reparo deve ser concluído amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.