SP aparece como 4ª capital menos violenta

Primeira cidade paulista na lista é Guarujá, na 62.ª posição no ranking

Lisandra Paraguassú, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

22 Julho 2009 | 00h00

A lista das capitais mais violentas para os adolescentes, de acordo com a pesquisa, reserva uma surpresa para São Paulo: a capital paulista é a quarta menos violenta, com uma taxa de 1,42 morte para cada mil jovens de 12 anos. Dentre os 267 municípios com mais de 100 mil habitantes, São Paulo aparece na 151ª posição. "São índices relativamente baixos, fruto da queda de homicídios que vem ocorrendo no Estado desde 2001. Não há nenhum município paulista com índice acima de 3, o que é uma situação positiva se comparada com outros Estados", afirma Ignácio Cano, autor do estudo "Índice de Homicídios na Adolescência". A primeira cidade paulista a aparecer na lista é Guarujá, na 62ª posição, com 2,92 por mil. Dentre as 20 cidades mais violentas aparecem apenas duas capitais, Maceió e Recife. O Rio aparece logo em seguida, em 21º, com taxa de 4,92 mortes para cada mil jovens. "A capital e a baixada fluminense como um todo têm índices preocupantes", diz Cano. Ainda assim, a projeção feita no estudo é que, até o fim de 2012, 15 mil dos 6 milhões de jovens entre 12 e 18 anos que vivem nas capitais brasileiras deverão ser assassinados. Apesar de ter taxas de assassinatos de jovens menores do que a Região Nordeste, o pesquisador explica que o Sudeste tem, entre os homicídios, o maior número causado por armas de fogo, o que é preocupante. De um modo geral no País, um jovem tem 3,3 vezes mais chances de ser morto por armas de fogo do que por qualquer outro meio. "A restrição das armas de fogo é um imperativo para as políticas públicas, especialmente no Sudeste." No Estado do Rio, por exemplo, a chance de um jovem morrer vítima de armas de fogo é 6 vezes maior do que por outros meios; em Minas, 4,2 vezes; e em São Paulo, 3 vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.