SP bloqueia dinheiro dado a escolas por TV

Contrato foi colocado como garantia para dívida de R$ 27 mi em tributos

Laís Cattassini, O Estadao de S.Paulo

11 Fevereiro 2009 | 00h00

A verba destinada pela Rede Globo às escolas de samba pelos direitos da transmissão do carnaval de São Paulo está congelada e não será repassada às agremiações, por causa de uma dívida de R$ 27 milhões de tributos e multas que a Liga das Escolas de Samba tem com a Prefeitura. O contrato com a emissora foi utilizado como garantia de pagamento em negociações da administração municipal com a Liga. Cada escola de samba receberia R$ 300 mil da Rede Globo. Segundo o advogado Marcelo Rocha, da Liga, não há condições de pagar a dívida tributária. "O carnaval não pode ser tributado. É uma fonte de cultura", diz. A importância cultural do carnaval não é reconhecida pela Prefeitura, segundo o presidente da Liga, Sidnei Carrioulo. "Dependemos muito dos órgãos públicos. O problema não é o dinheiro, mas a estrutura." Para ele, a beleza dos desfiles é garantida mesmo sem incentivo. "Se com tão pouco fazemos um espetáculo como esse, imagine o que poderíamos fazer com mais", afirmou. A Prefeitura é a principal patrocinadora do carnaval de São Paulo. Este ano, as entidades carnavalescas receberam, no total, R$ 19,9 milhões do órgão, investimento, segundo a São Paulo Turismo (SPTuris), 5% maior do que no ano passado. "A Prefeitura não está deixando de cumprir seu papel. O congelamento da verba não é punição, mas consequência da má administração e de anos de não cumprimento da lei", declara o membro da comissão de carnaval da SPTuris Luiz Sales. CARNAVAL INESQUECÍVEL Edgar Scandurra Músico "Tinha 16 anos e pulei num clube no Bosque da Saúde (bairro paulistano). Fiquei com uma menina e a gente se beijou muito, até que não consegui mais olhar para ela. Passei o resto da noite fugindo. Quando meu pai chegou para me buscar, sai correndo, e dei de cara com ela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.