SP cadastrará empresas para acelerar ação de pista da CET

A Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) de São Paulo anunciou ontem que vai criar um cadastro de empresas que possam auxiliar o poder público nos trabalhos de remoção de cargas nas vias da cidade. O anúncio veio um dia depois de a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ter levado 14 horas para liberar a pista da Marginal do Tietê, onde uma carreta com 40 toneladas de açúcar tombou durante a madrugada e prejudicou o trânsito durante toda a manhã. No pior momento, às 9 horas, a lentidão foi de 138 quilômetros, enquanto a média para o horário em setembro foi de 86 km.A CET vai divulgar nos próximos dias uma lista dos serviços necessários e quanto pagará por eles - entre os principais, estão caminhões de diversos tamanhos, empilhadeiras, retroescavadeiras e tratores. As empresas interessadas serão cadastradas e, em caso de acidentes, a que se localiza mais próxima da ocorrência será acionada para retirar a carga e os caminhões que estiverem obstruindo as vias. Segundo a companhia, todos os custos serão repassados à empresa responsável pelo veículo. REPERCUSSÃOO prefeito Gilberto Kassab (DEM) negou ontem que tenha havido falha da CET no atendimento ao acidente da Marginal do Tietê anteontem. "De jeito nenhum. Hoje os acidentes são mais bem atendidos do ponto de vista do tempo e da qualidade", afirmou.Kassab admitiu que o tempo para liberação da pista, 14 horas, ficou aquém do recomendável, mas não culpou a empresa. "Estamos sempre avançando, melhorando. Se fosse quatro anos atrás, teria sido bem pior. Não tinha nem guincho na CET."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.