SP começa a fiscalizar motoboys no dia 8

A partir do dia 8, a Prefeitura de São Paulo começa a fiscalizar os cerca de 150 mil motoboys em atividade na capital. Quem estiver em situação irregular ficará sujeito a autuação e poderá ter a motocicleta apreendida. O Departamento de Transporte Público (DTP) ainda não definiu como será feito o controle, mas os fiscais devem vistoriar a documentação e o uso do baú. Anteontem, mil motociclistas realizaram manifestação na região central contra o início da fiscalização. De acordo com o diretor do DTP, Josias Lech, a data será mantida. Não há prazo final para fazer o cadastro. ?Estamos a favor do projeto, não vamos permitir que a fiscalização seja adiada?, diz Aldemir Martins de Freitas, o Alemão, presidente do Sindicato dos Motoboys e Motofretes de São Paulo. Para ele, a manifestação de segunda-feira foi ?política?. Uma estimativa do sindicato aponta que, na capital, ocorrem em média 70 acidentes por dia envolvendo motociclistas, com pelo menos uma morte. Além de reduzir estes números, a fiscalização deve acabar com um estigma. ?As pessoas chamavam todos os motociclistas de motoboys, sejam eles trabalhadores ou ladrões. Isso vai acabar?, afirma o presidente. Ele estima que cada motociclista gaste em torno de R$ 150 por ano para se adequar às novas normas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.