SP começa a semana com greve de ônibus

Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo decidiram iniciar uma greve, a partir da zero hora desta segunda-feira, por tempo indeterminado. A estimativa é que 3,7 milhões de passageiros sejam prejudicados por dia, caso todos os 50 mil funcionários e 9,6 mil ônibus participem da paralisação. A categoria reivindica 8% de reajuste salarial. Apenas ônibus de cooperativas circularão normalmente. O secretário municipal dos Transportes, Carlos Zarattini, considerou a greve uma "atitude precipitada". Ele afirmou que, para evitar abusos durante a paralisação, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo determinou que 80% da frota circule no horário de pico e 50% esteja nas ruas nos demais horários. "A não-obediência à Justiça permite aos empresários realizar demissão por justa causa". O impasse nas negociações entre empresários, motoristas e cobradores de ônibus começou em maio, quando o TRT determinou reajuste salarial de 8% para a categoria e um aumento de 20 minutos na jornada de trabalho de sete horas. O Transurb (sindicato dos empresários) recorreu ao TST (Tribunal Superior do Trabalho). A decisão final fixou o reajuste em 6%, reduzindo a proposta inicial. Na última quinta-feira, em uma reunião no TRT, em Brasília, representantes das categorias e o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, Ronaldo Lopes Leal, não conseguiram entram em acordo. No mesmo dia, em São Paulo, cerca de 50 mil motoristas e cobradores paralisaram suas atividades das 3h às 6h, afetando 500 mil passageiros, segundo a SPTrans.Trânsito - Rodízio municipal de veículos e a Zona Azul estão suspensos. A circulação de carros em faixas de ônibus também está liberada. Só permanece proibida a circulação em corredores exclusivos. Nesta segunda-feira, com a greve total, podem circular carros com placa de qualquer final, inclusive 1 e 2, proibidos numa segunda-feira normal. A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) anunciou a ampliação do horário de pico, período em que o número de composições é maior, ultrapassando às 9h da manhã, dependendo da demanda de passageiros. As seis linhas terão o período de pico ampliado.Os horários de funcionamento e número de composições do metrô serão os mesmos em todas as três linhas. A empresa de ônibus Intermunicipal que desejar, ou que for solicitada pela SPTrans ou EMTU, pode prolongar as linhas até a região Central da cidade de São Paulo, como Praça da Sé, Praça da República e Parque Dom Pedro. A Polícia Militar mantém o efetivo de homens e viaturas dos dias normais e os batalhões podem pedir reforços em caso de confrontos em Garagens, Terminais e Corredores. O mesmo acontece com a GCM - Guarda Civil Metropolitana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.