SP: creche da Câmara gasta R$ 1,23 mil/mês por criança

A Câmara Municipal de São Paulo mantém uma creche com capacidade para 20 bebês - idades entre zero e um ano e meio - com um gasto de R$ 1.239,65 mensais per capita. O valor é mais que o dobro da mensalidade média de escolas particulares consultadas pelo Jornal da Tarde que têm fins lucrativos e ainda pagam impostos e tarifas públicas. E quase dez vezes o valor que a Prefeitura gasta com cada criança em suas creches: R$ 150 mensais.A Câmara gasta R$ 21.074,08 mensais para cuidar atualmente de 17 bebês, segundo informações do gabinete da vereadora Aldaísa Sposati (PT). Desse total, R$ 20 mil são para o pagamento dos funcionários. Nas escolas particulares, a média de funcionários é de três a quatro por criança até 18 meses.Nas escolas conveniadas da Prefeitura, são 18 funcionários, que cuidam de 60 crianças ao custo de R$ 7.123,92 no total. Na terça-feira, o JT mostrou a luta das avós da periferia da cidade para conseguir uma vaga para os netos na rede pública. Em alguns lugares, a fila de espera é de 150 crianças. Lideranças comunitárias da Zona Sul, estimam mil menores sem atendimento. A secretaria municipal de Educação disse que deverá criar cerca de nove mil vagas para abrigar estas crianças.TCM -Outra creche financiada com recursos públicos é a do Tribunal de Contas do Município (TCM). A estrutura de 34 funcionários custa mais de R$ 1.740 mensais para cada uma das 65 crianças atendidas. Os salários dos funcionários da creche do TCM também chamam a atenção: segundo a CPI que investiga o tribunal, o enfermeiro ganha cerca de R$ 7 mil e auxiliar de cozinha, R$ 3 mil. Na Câmara, não foi possível obter a folha de pagamento detalhada. Os vereadores procurados pelo JT desconheciam os valores da creche.Segundo a assessoria da vereadora Aldaísa, o levantamento é inédito e será encaminhado à mesa diretora. "Essas informações obrigam uma ação rápida", disse o presidente da Câmara, vereador José Eduardo Cardozo (PT). Segundo ele, será nomeada uma comissão para apurar os custos da creche e "propor as mudanças necessárias".De acordo com o vereador, a revisão dos valores destinados à creche será rápida e feita em conjunto com os estudos sobre as despesas do departamento médico.Reforma - A Câmara Municipal gastou no ano passado R$ 207 milhões - R$ 65 milhões apenas com pagamento de salários dos gabinetes. No orçamento em execução este ano, a previsão orçamentária para a casa é de R$ 217,4 milhões. Além do gasto com salários, os vereadores pagaram no ano passado R$ 70 mil com xerox, cartões de visita, impressos e outros. Eles ainda têm direito a 500 litros de combustível por mês.Para José Eduardo, a Câmara já está passando por uma reforma administrativa que resultou, até agora, em uma economia de R$ 10 milhões dos R$ 180 milhões da folha de pagamento. Há projetos para mudar a estrutura da casa, o que também resultaria em mais economia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.