SP: fim da rebelião na Casa de Detenção

Terminou, por volta das 22h de ontem, a rebelião de presos no Centro de Detenção Provisória nº 2, (CDP-2), localizado no Jardim Everest, na altura do quilômetro 20 da rodovia Raposo Tavares, no município de Osasco, na Grande São Paulo. O motim teve início às 17h30 de ontem após um agente carcerário ser tomado refém por 154 presos de dois pavilhões. Segundo a Secretaria Estadual da Administração Penitenciária, os presos exigiam, para libertar o carcereiro, que o secretário Nagashi Furokawa e o juiz corregedor de Osasco prometessem demitir a diretoria do CDP -2. O Centro de Detenção possui 8 pavilhões e não está superlotado. Os 703 presos existentes na carceragem ocupam um espaço onde cabem 760 homens.Policiais militares da Tropa de Choque foram acionados e, às 20h, já esperavam por uma segunda ordem para invadir o prédio, mas, após negociação com o secretário da Administração Penitenciária e o juiz corregedor de Osasco, os presos resolveram liberar o refém, cujo nome não havia sido divulgado até a meia-noite de ontem.Após a liberação dos reféns, policiais do Choque, com o auxílio de colegas do 14º Batalhão, entraram no prédio para realizar uma operação pente-fino na carceragem, à procura de estiletes (armas utilizadas nas ameaças ao refém), armas de fogo e outros objetos cortantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.