SP foi embrião para o Esporte

A primeira grande incursão do PC do B na seara esportiva teve início pelas mãos da senadora Marta Suplicy (PT). Eleita prefeita de São Paulo em 2000 com o apoio do partido, ela convidou Nádia Campeão, presidente do PC do B paulistano, para assumir a desprestigiada pasta municipal de Esporte.

O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2011 | 03h07

Até então, a relação de Nádia com o mundo esportivo limita-se à prática do tênis e à torcida pelo Palmeiras. Durante a gestão, a dirigente do PC do B se aproximou da prefeita e ganhou sua confiança. Em 2004, Nádia candidatou-se à Câmara Municipal da capital paulista, porém o único vereador eleito pelo seu partido foi o ex-jogador Ademir da Guia, cuja filiação ao PC do B havia sido arquitetada justamente para ajudar Nádia a se eleger.

Ademir logo deixou o PC do B, mas a "experiência piloto" dos comunistas em São Paulo motivou o então presidente eleito Lula a convidar o partido para o Ministério do Esporte, em 2002. O nome mais cotado na ocasião era o de Aldo Rebelo (SP), que havia presidido a CPI da CBF/Nike na Câmara dos Deputados. Porém, a vaga ficou com Agnelo Queiroz, então no PC do B. Orlando Silva foi seu sucessor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.