SP foi embrião para o Esporte

A primeira grande incursão do PC do B na seara esportiva teve início pelas mãos da senadora Marta Suplicy (PT). Eleita prefeita de São Paulo em 2000 com o apoio do partido, ela convidou Nádia Campeão, presidente do PC do B paulistano, para assumir a desprestigiada pasta municipal de Esporte.

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2011 | 03h07

Até então, a relação de Nádia com o mundo esportivo limita-se à prática do tênis e à torcida pelo Palmeiras. Durante a gestão, a dirigente do PC do B se aproximou da prefeita e ganhou sua confiança. Em 2004, Nádia candidatou-se à Câmara Municipal da capital paulista, porém o único vereador eleito pelo seu partido foi o ex-jogador Ademir da Guia, cuja filiação ao PC do B havia sido arquitetada justamente para ajudar Nádia a se eleger.

Ademir logo deixou o PC do B, mas a "experiência piloto" dos comunistas em São Paulo motivou o então presidente eleito Lula a convidar o partido para o Ministério do Esporte, em 2002. O nome mais cotado na ocasião era o de Aldo Rebelo (SP), que havia presidido a CPI da CBF/Nike na Câmara dos Deputados. Porém, a vaga ficou com Agnelo Queiroz, então no PC do B. Orlando Silva foi seu sucessor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.