SP já economizou mais de R$ 1 mi com teleaudiência

A utilização de videoconferência nos interrogatórios judiciais, aprovada nesta quarta-feira, 21, por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, já é uma realidade no Estado de São Paulo. Implantado em agosto de 2005, o Sistema de Teleaudiência Criminal já propiciou a redução de mais de R$ 1 milhão nas operações de transporte de presos para audiências no Estado, pois em 2005 esses gastos foram de R$ 6,395 milhões e no ano passado ficaram em torno de R$ 5,093 milhões. "Este é um exemplo do que a Tecnologia de Informação pode fazer em benefício do Estado e do cidadão, otimizando o trabalho e reduzindo gastos", destaca o secretário de Gestão Pública de São Paulo, Sidney Beraldo.Como o sistema já está em operação há mais de um ano em São Paulo, Beraldo destaca que o governo José Serra está pronto para subsidiar outros Estados que queiram implantar as teleaudiências. "Como São Paulo está à frente nessa matéria, podemos compartilhar nossa experiência", reitera o secretário. Segundo ele, os benefícios de se utilizar a videoconferência nos interrogatórios judiciais são enormes.E cita os seguintes exemplos: redução dos gastos com transporte, economia de combustível, diminuição dos riscos de fugas e resgates durante o transporte dos presos, mais rapidez no julgamento, economia com escolta - o valor gasto por preso escoltado é de R$ 2,5 mil - e benefício para a população, pois os policiais que fazem essas escoltas e o policiamento ostensivo podem ser deslocados para outras atividades.Modelo em expansãoO secretário de Gestão Pública informou também que este modelo está em expansão no Estado, graças a uma parceria com a empresa Telefônica, que vem acelerando a instalação de pontos de banda larga em vários municípios. Segundo ele, esses pontos são fundamentais não apenas para a realização das videoconferências, mas também para o desenvolvimento de projetos em outras áreas do governo eletrônico, como saúde e educação. "Hoje já temos quase 11 mil pontos ( de banda larga) e vamos chegar a 20 mil", reiterou Beraldo. Até o momento, já foram realizadas mais de 1.700 teleaudiências em São Paulo, sendo que um único juiz realizou 11 delas em um único dia.Hoje existem 16 salas de teleaudiência instaladas no Estado. Cada sala tem um equipamento de videoconferência, duas TVs de 29 polegadas, uma câmara de digitalização de documentos e um telefone IP. Uma das preocupações com esse sistema, desenvolvido pela Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), era a questão da segurança nas transmissões das informações. Isso foi resolvido com a tecnologia da criptografia, que permite segurança nessas transmissões.Dentre os locais que já têm sala de teleaudiência, estão: Fórum Criminal de Presidente Bernardes, Penitenciária de Presidente Venceslau, Centro de Readaptação de Presidente Bernardes, CDPs de Guarulhos, Osasco, Belém e Pinheiros. No âmbito federal, esse sistema está implantado no Fórum Federal de Guarulhos e no Fórum Federal Criminal da Capital, que se interligam com a sala do presídio Adriano Marrey, em Guarulhos e a do Presídio de Itaí, na região de Avaré, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.