SP não quer testes criminológicos em detentos

Mesmo que prevaleça a versão do Senado, que deu liberdade aos Estados para decidir sobre a aplicação de exames criminológicos em detentos, o Estado de São Paulo já decidiu que vai abolir os testes. O secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, diz que, se os testes fossem mantidos, apenas 10% da população carcerária paulista seria beneficiada.O exame criminológico, feito por psiquiatras, psicólogos e sociólogos, traça um perfil do preso e orienta a concessão de benefícios, como mudança para o regime semi-aberto ou liberdade condicional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.