SP registra 6,4 graus, a mais baixa temperatura desde 2001

Frio também chegou ao Rio e a Minas, por causa de uma massa de ar polar no Sudeste

O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2031 | 00h00

A capital paulista teve a menor temperatura registrada no mês de julho desde 2001 durante a madrugada ontem, de 6,4 graus. Em alguns bairros, como Morumbi e Horto Florestal, a sensação de frio foi de 4 graus. A máxima no domingo, de 11 graus, também já havia batido recorde. No Rio, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou ontem 9,5 graus, já menor que a temperatura do dia anterior. O motivo do mau tempo no Sudeste é uma massa de ar polar que veio do Sul do País. Ela se desloca ao longo da costa brasileira e o frio deve continuar intenso na madrugada. Segundo a Climatempo, uma grande massa de ar seco e frio cobriu o Rio Grande do Sul ontem. O tempo deve continuar aberto amanhã. O meteorologista Marcio Custódio, da Somar Meteorologia, informa que as lavouras de café foram preservadas do frio intenso. ''''O frio concentrou-se na costa do País'''', explica. O sul de Minas teve mínima de 4 graus e Londrina, no norte do Paraná, de 8 graus. Presidente Prudente, no oeste de São Paulo, registrou 10 graus. ''''O frio não será suficiente para provocar geadas, pois a força da massa de ar polar está concentrada na faixa leste da Região Sudeste'''', ressalta Custódio. Entre amanhã e sexta-feira, a umidade aumenta por conta da passagem de uma frente fria pelo Estado. Com isso, volta a chover em todas as áreas e o acumulado de chuva pode chegar a 80 mm no centro-sul do Estado. Nas demais localidades, chove entre 10 e 40 mm. A madrugada de ontem teve a menor temperatura do ano em Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira. De acordo com a medição no Horto Florestal do Estado a mínima durante a madrugada foi de 3 graus negativos e a geada foi tão forte que se estendeu até às 9 horas. A geada deve se repetir hoje na região segundo previsão do Cptec/Inpe. A atuação de uma massa de ar seco sobre a região Sudeste mantém o dia ensolarado, mas as temperaturas continuarão baixas, principalmente durante a madrugada. A previsão é de zero grau na Serra da Mantiqueira novamente. MORTE O morador de rua Daílson Pereira de Lima, de 40 anos, morreu de frio na madrugada de anteontem em Taubaté, no Vale do Paraíba, vítima de uma provável hipotermia, por causa das baixas temperaturas. Segundo o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe) as mínimas no município chegaram a 2,5 graus durante a madrugada. O corpo foi encontrado na calçada do centro da cidade no início da manhã. Segundo outro morador de rua, Haroldo de Melo, Daílson preferiu não ir ao albergue porque não é permitido consumir bebidas alcoólicas no local. A polícia técnica esteve no local para a perícia e não constatou qualquer sinal de violência. O corpo da vitima foi levado ao Instituto Médico Legal de Taubaté.''''Vamos tentar a identificação, pra avisar a família e depois passará pela necropsia, para saber se ele teve morte natural, se teve algum problema de saúde'''', informou o delegado Juarez Totti. Segundo a assistente social da prefeitura de Taubaté, Inês Vale, o morador de rua vivia no centro de Taubaté havia cerca de quatro anos e esteve no albergue mais de trinta vezes. ''''Ele se recusava a ficar lá por causa da bebida e chegava a recusar até tratamento'''', diz Inês Em Salvador, as fortes chuvas e rajadas de ventos causaram a morte de um bebê de 1 ano e 3 meses, atingido por uma telha. BAIXAS TEMPERATURAS 6,4 graus foi a temperatura na madrugada de ontem em São Paulo 9,5 graus foram registrados no Rio também ontem -3 graus em Campos de Jordão foi a mínima na madrugada 4 graus foi a temperatura no sul de Minas 8 graus foi a mínima em Londrina,no Paraná 2,5 graus chegou a ser registrado em Taubaté, onde um morador de rua morreu de frio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.