SP tem chuva após 57 dias de estiagem

Mudança climática fez umidade do ar aumentar e temperatura cair; primavera deve ser seca e quente

Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2022 | 00h00

O tempo mudou ontem na capital paulista e choveu após 57 dias de estiagem. Apesar de ter atingido apenas áreas isoladas como o Butantã (zona oeste), Itaquera (leste) e Campo Limpo (sul), a chuva fraca foi suficiente para aumentar os índices de umidade relativa do ar. A última vez que choveu na cidade inteira foi em 25 de julho. Enquanto na quinta-feira a umidade ficou em 23%, às 15 horas, ontem as estações do Inmet registraram, no mesmo horário, 69%. "A umidade mais alta melhora a respiração e ameniza a qualidade do ar. Existem alguns gases que, quanto mais seco o tempo fica, mais difícil para dissiparem. Sem umidade não tem como chover, pois as nuvens não se formam", explicou a meteorologista do Cptec Kelly Martins Andrade. A temperatura também caiu ontem. Às 15 horas, os termômetros registraram 21,9 graus. Quinta, no mesmo horário, a temperatura bateu o recorde do ano: 34,2 graus. As responsáveis por essa mudança climática foram as nuvens carregadas que vieram do Sul do País e do oceano. "Mas isso é só hoje (ontem), porque no fim de semana volta a fazer calor", disse a meteorologista do Inmet. A temperatura deve começar a cair novamente a partir da próxima segunda-feira, quando está prevista a chegada de uma frente fria. A previsão é de tempo frio e chuvoso. PRIMAVERA A primavera começa amanhã, pontualmente às 6h51. Apesar de ser uma temporada em que a incidência de chuva começa a aumentar, a estação das flores iniciará com tempo seco e temperaturas que podem chegar aos 34 graus, segundo o Inmet. E esse calor será sentido pelo paulistanos hoje. O órgão prevê que a máxima chegará aos 32 graus, diferentemente de ontem, quando ficou em 21,9 graus. "A primavera é uma estação que faz a transição do período seco para o chuvoso. Mas, para este ano, a previsão é de uma temporada de calor", disse a meteorologista do Inmet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.