SP: termina rebelião em Pirajuí

Depois de mais de 14 horas, terminou hoje, às 5h, a rebelião dos detentos da Penitenciária 1 de Pirajuí, localizada no interior do Estado de São Paulo. A rebelião começou ontem, por volta das 14h30, quando oito agentes carcerários foram tomados reféns e obrigados a abrir as celas e as ligações com a penitenciária. Os cerca de 870 presos decidiram se rebelar em apoio ao Primeiro Comando da Capital (PCC), a principal facção criminosa que atua nos cárceres paulistas. Durante a revolta, um preso foi degolado e teve sua cabeça jogada no pátio. Outros três presos foram atirados do alto de um dos prédios, ficando gravemente feridos. O governo do Estado de São Paulo havia estipulado o prazo de até às 6h de hoje para que os detentos encerrassem a rebelião, caso contrário, a Tropa de Choque entraria na penitenciária.A principal reivindicação dos detentos para encerrar o motim não foi atendida. Eles exigiam a transferência de 12 presos, integrantes do PCC, para o Complexo Penitenciário do Carandiru, na zona norte da capital paulista. No último domingo, o PCC comandou uma rebelião simultânea que atingiu 25 presídios, duas cadeias públicas e dois distritos policiais localizados em 22 cidades do Estado de São Paulo. O motim deixou pelo menos 19 presos mortos e teve a participação de 25% dos 94 mil detentos do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.