SP vai distribuir bicicletas para escolas públicas

Projeto do governo estadual foi lançado ontem na capital em evento com 8 mil ciclistas; cidades pobres com até 5 mil habitantes terão prioridade

Aline Nunes, O Estadao de S.Paulo

23 de março de 2009 | 00h00

Oito mil ciclistas - entre amadores, profissionais e outros no limite da inexperiência - enfrentaram 8 quilômetros na Marginal do Pinheiros, passando pela Ponte Octavio Frias de Oliveira, na manhã de ontem, para lançar em São Paulo o projeto Pedalando e Aprendendo, do governo do Estado.Idealizado pela primeira-dama Mônica Serra, presidente do Fundo de Solidariedade e Desenvolvimento Social e Cultural do Estado de São Paulo (Fussesp), o projeto tem por objetivo doar bicicletas para escolas públicas de municípios paulistas com situação socioeconômica menos favorável e com população de até 5 mil habitantes. O encontro contou com a presença de políticos, entre eles o prefeito Gilberto Kassab (DEM) que, de calça jeans e camiseta, arriscou umas pedaladas em parte do percurso. A Fussesp arrecadou 2 mil bicicletas, mas ainda falta definir as escolas que receberão a doação."Aceitamos bicicletas novas e usadas", explica Mônica Serra. É ainda possível comprar uma bicicleta na Caloi e pedir à empresa para enviar ao Fussesp. O esportista Paulo Eduardo Chieffi Addgaard, o Pauê, de 27 anos, que desde 2000 usa próteses nas duas pernas e, depois disso começou a andar de bicicleta, foi escolhido para ser o símbolo do projeto do governo estadual. "Sempre fui apaixonado pelo surfe, mas durante a recuperação aderi à bicicleta, que me ajudou muito no tratamento", conta o pentacampeão brasileiro de triatlo. A iniciativa tem o apoio da Prefeitura. "Além de incentivar o esporte, resolve um problema de uma parte da sociedade, que é o transporte para alguns alunos da rede de ensino público", explica Kassab. Iniciativas experimentais já haviam sido testadas no interior do Estado, no começo do ano passado.Para apoiar o Pedalando e Aprendendo, que tem plano de expansão para a capital, Kassab diz que os projetos da Prefeitura em favor dos ciclistas vão crescer nos próximos meses. "A proposta é avançar com as ciclovias pelas marginais", afirma o prefeito. As estações de metrô e ônibus também devem ganhar mais bicicletários.Em seis meses de funcionamento, o projeto de aluguel de bicicletas em estações do metrô já conta com 5.252 clientes diferentes. São apenas 202 bicicletas disponíveis e a única ciclovia que realmente funciona e oferece segurança aos usuários é a que acompanha a Radial Leste. Mesmo assim, foram feitos expressivos 7.946 empréstimos de bicicletas entre 27 de setembro do ano passado e 9 de março deste ano.Segundo Ismael Caetano, presidente do Instituto Parada Vital e colaborador do Pelando e Aprendendo, a cidade, que hoje conta com 23 bicicletários, deve alcançar até o fim do ano cerca de 50. "A adesão tem sido grande", afirma.Enquanto a capital paulista tem 36,5 km de ciclovias, Berlim tem 625 km; Paris e Amsterdã, 400 km.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.