Staff tucano avalia que resultado não surpreende

A pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva, e coordenadores da campanha do tucano José Serra comentaram a pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Datafolha. Os números mostram empate entre Serra e a pré-candidata petista ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff. Ambos têm 37% das intenções de voto.

Julia Duailibi, Gustavo Chacra e Marina Heliana Lima, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2010 | 00h00

O resultado da pesquisa não surpreendeu os coordenadores da campanha de Serra. "Era esperado em função da exposição que o PT teve neste mês de maio", declarou o senador Sérgio Guerra (PE), presidente do PSDB e coordenador da campanha de José Serra.

"A pesquisa não surpreende, tendo em vista a exposição maciça da candidata oficial em inserções na TV, nos eventos sindicais irregulares, nas inaugurações de obras públicas e no arqui-ilegal programa televisivo do partido. Além, é claro, da cadeia nacional do Lula", comentou outro coordenador da campanha.

Em visita ontem ao Vale do Paraíba, Serra preferiu não falar sobre o empate com a pré-candidata petista na pesquisa do Datafolha. "Não vou comentar os números", limitou-se a dizer.

Acompanhado do pré-candidato tucano ao governo do Estado, Geraldo Alckmin, Serra visitou a comunidade Renovação Carismática, em Cachoeira Paulista, pela manhã, e seguiu para São José dos Campos, onde permaneceu cerca de 1h30. Alckmin também evitou comentários sobre o resultado da pesquisa.

Em viagem a Nova York, Dilma Rousseff também não quis falar sobre o assunto. A pré-candidata petista, que esteve na cidade para encontro com investidores anteontem, fez o check out do hotel Four Seasons ontem mesmo. A previsão era de que chegasse hoje ao Brasil.

Notificação. Em Salvador, onde participou do pré-lançamento da candidatura do deputado Luiz Bassuma ao governo da Bahia pelo PV, a pré-candidata Marina Silva fez sua avaliação sobre o resultado da pesquisa. "Estamos ainda no começo do processo. Ainda tem muita água para rolar", disse.

Sobre a parcela do eleitorado que diz que votará em Dilma por ser a candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marina declarou: "No começo, elas vão por aquilo que é conhecido, mas depois elas vão por aquilo que começarão a conhecer. E eu confio muito nisso."

A pré-candidata do PV à Presidência disse ontem que os advogados do partido estão analisando a notificação por antecipação de campanha eleitoral impetrada pelo Ministério Público Eleitoral. "Tão logo eles tenham um parecer, eu me pronunciarei no mérito", afirmou.

Marina disse ainda que tem orientado a militância e a equipe no sentido de cumprir rigorosamente a legislação eleitoral. "Se for justa a aplicação da multa, temos que nos submeter às regras. Não estamos acima do bem e do mal. Nunca fiz nada pra infringir as regras."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.