STF decide por extradição de libanês condenado nos EUA

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concederam ontem a extradição do libanês Fouad Mustapha Majed para os Estados Unidos para que ele complete o cumprimento de uma pena por crime de tráfico de heroína. Segundo o governonorte-americano, Majed fugiu do presídio de Nova Jersey em abril de 1991, quando havia cumprido apenas 41 dos 120 meses aos quais foi condenado.Recentemente, Majed ganhou notoriedade ao fugir do Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, onde estava internado após a realização de uma cirurgia. ?Eu chego à conclusão de que o extraditando deve ser uma pessoa extremamente simpática?, ironizou a relatora da extradição no STF, ministra Ellen Gracie, durante o julgamento. ?Isso porque ele já havia fugido de uma prisão norte- americana, saindo pela porta da frente e com o auxílio de um automóvel que ele furtou no local, deixando um bilhete ao proprietário pedindo desculpas pelo incômodo e dizendo onde ele poderia encontrar o veículo?, acrescentou a ministra.Ellen disse que no HFA Majed fez amizades com funcionários e agentes da Polícia Federal. Ela acredita que houve um descuido, o que teria permitido a fuga. Segundo o Supremo, Majed foi descoberto em janeiro no litoral do Espírito Santo, onde já estaria preparando uma nova fuga. O governo norte-americano queria que Majed também fosse extraditado pelos crimes de fuga e furto. Mas os ministros do STF negaram nesse ponto o pedido porque no Brasil a fuga de presídio sem violência não é crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.