STF determina a libertação do delegado André Di Rissio

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a expedição de alvará de soltura para o delegado paulista André Di Rissio, que foi preso preventivamente durante a Operação 14 Bis, no final de junho, pela Polícia Federal. Ele é suspeito de participar de um esquema de liberação ilegal de mercadorias na alfândega do aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo. A decisão foi tomada no pedido de habeas-corpus ajuizado pela defesa do delegado.A argumentação principal da defesa do delegado, presidente afastado da Associação dos Delegados do Estado de São Paulo, é a de que seu cliente tem sofrido constrangimento ilegal. O advogado de Di Rissio sustenta não haver necessidade de manter o delegado preso, porque o Ministério Público já ouviu todas as testemunhas no processo que tramita contra o delegado na 1ª Vara Criminal da Subseção Judiciária de Campinas.O relator, ministro Marco Aurélio, salientou o entendimento renovado do Supremo sobre a preservação da instrução criminal. ?Simples indícios de que o investigado pode obstruir as investigações policiais não servem de respaldo à custódia?, entendeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.