STJ cassa liminar e Suzane Richthofen voltará para prisão

O Superior Tribunal de Justiça negou pedido de habeas-corpus de Suzane von Richthofen, de 22 anos, acusada de participar do assassinato dos pais, em 2002, na cidade de São Paulo. Assim, fica cassada a liminar concedida anteriormente pelo relator, ministro Nilson Naves, que concedeu a prisão domiciliar e Suzane voltará para o presídio de Rio Claro.Na terça-feira, 27, o juiz Alberto Anderson Filho, do 1º Tribunal do Júri da capital paulista, autorizou que Suzane cumprisse a prisão domiciliar em outro endereço e a jovem voltou para a casa de seu advogado e tutor, Denivaldo Barni. Até terça, ela estava num apartamento na Aclimação, zona sul de São Paulo. JúriSuzane, seu ex-namorado Daniel e o irmão dele, Cristian Cravinhos, confessaram ter matado os pais dela, Marísia e Manfred von Richthofen, a golpes de barra de ferro, na casa em que a família vivia, em outubro de 2002.Os três foram denunciados pelo Ministério Público por crime de duplo homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa das vítimas.O julgamento dos três estava marcado para 5 de junho e foi adiado, na ocasião, para 17 de julho, no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo.

Agencia Estado,

29 de junho de 2006 | 15h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.