STJ mantém prisão de homem que traficava cocaína em carne

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas-corpus a Carlos Roberto da Rocha, um dos integrantes da quadrilha acusada de traficar cocaína em peças de carne congelada. O grupo foi desmantelado em 2005, durante a Operação Caravela. A ação evitou, entre outras coisas, a remessa de 1,6 tonelada de cocaína para fora do Brasil.Preso em flagrante, Carlos Roberto teve a prisão decretada em 7 de dezembro de 2005. Sua defesa impetrou habeas-corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que, por unanimidade, negou o pedido. No STJ, os advogados alegaram que o réu estava submetido a constrangimento ilegal, pois o decreto preventivo não teria fundamentação.Ao julgar o pedido, o ministro Paulo Medina considerou que havia indícios de autoria e materialidade do crime. Dessa forma, o decreto de prisão estaria satisfatoriamente motivado, com base em elementos concretos do processo. O ministro também entendeu que a prisão do acusado se mostra útil e necessária para acabar com as ações criminosas do bando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.