STJ nega habeas a engenheiro acusado de matar ex-mulher

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, negou o pedido de habeas-corpus que pedia liberdade provisória ao engenheiro agrônomo Paulo César Schmitt Borges, acusado de ter assassinado a ex-mulher, Renata Bez Borges, em maio de 2006, em Santa Catarina.O ministro negou o pedido alegando ausência dos requisitos da prisão preventiva e excesso de prazo na formação da culpa. Borges assassinou a ex-mulher com uma facada no pulmão, na madrugada do dia 3 de maio de 2006, em seu apartamento no bairro de Campinas, na cidade catarinense de São José.Borges também feriu o namorado de Renata, Alexandro Rossi, e foi preso uma semana após o crime. O ministro Monteiro Filho afirmou, ainda, que o alegado excesso de prazo na formação da culpa não foi discutido na decisão impugnada, o que, a princípio, impede a admissão do habeas corpus no STJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.