STJ pede explicações sobre prisão de Pimenta Neves

O pedido de liminar para impedir a prisão do jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves só será apreciado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após chegarem as informações solicitadas ao Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele foi condenado pelo assassinato da ex-namorada Sandra Gomide.A ministra pede ao tribunal paulista que especifique os motivos que determinaram a prisão do jornalista no julgamento da apelação realizado nesta quarta-feira, dia 13. Em seu despacho, ela destaca que ´não há impedimento a que a defesa se adiante e apresente as informações solicitadas´. O desembargadores também reduziram no julgamento a condenação de Pimenta Neves, de 19 anos e dois meses, para 18 anos de prisão porque ele confessou o crime. O pedido de liminar ao STJ foi feito para questionar essa decisão.Pimenta Neves foi condenado no mês de maio pelo assassinato de Sandra Gomide. Apesar de condenado, ele ganhou o direito de recorrer da sentença em liberdade. O crime aconteceu em 20 de agosto de 2000, na cidade de Ibiúna, interior de São Paulo. Pimenta era diretor de Redação do Estado de S. Paulo e Sandra trabalhou na empresa como repórter e editora de Economia.O jornalista ainda não se apresentou à autoridade policial para que a decisão que determinou a prisão seja cumprida. De acordo com um de seus advogados, Carlo Frederico Muller, ele está esperando que a Justiça garanta sua integridade física. O advogado disse que enviou petição ao desembargador Ciro Campos, presidente da 10ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, pedindo uma audiência para negociar as condições de entrega de seu cliente, mas ainda não obteve resposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.