Subiu para 28 o número de vítimas das chuvas em Maceió

O número de vítimas fatais das chuvas que caíram na última terça-feira, na capital alagoana, subiu de 19 para 28. Entre os mortos, há quatro pessoas de uma mesma família, cujo barraco desabou com a queda de um muro de arrimo na madrugada de hoje, no bairro de Ouro Preto. Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros de Alagoas, coronel Jadir Ferreira Cunha, o número de mortos pode aumentar porque há informações de pessoas desaparecidas, que estariam soterradas. Em entrevista a uma emissora de rádio, no início da tarde, o coronel Jadir pediu às pessoas que residem em áreas de risco para que não retornem para suas casa, porque embora o tempo tenha melhorado o serviço de meteorologia prevê que as chuvas vão continuar até esta quinta-feira. Segundo ele, a Comissão de Defesa Civil calcula em mais de mil desabrigados vítimas das chuvas. A maioria mora em encostas, grutas e favelas na periferia da cidade, onde foram listadas 35 áreas de risco.O governador Ronaldo Lessa (PSB) disse que foi decretado estado de calamidade pública em Maceió, mas a Prefeitura ainda não tem um balanço dos prejuízos causados pelas chuvas. "Estamos preparando um relatório sobre os estragos causados, para levá-lo na próxima segunda-feira ao governo federal, em Brasília", afirmou Lessa. Segundo ele, a prefeita licenciada de Maceió, Kátia Born (PSB), calcula em R$ 1 milhão os prejuízos com as chuvas na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.