Subsídio já beira R$ 600 milhões

A promessa de não aumentar a tarifa de ônibus da capital - hoje em R$ 2,30 - custou ao prefeito Gilberto Kassab (DEM) mais R$ 35 milhões. Decreto publicado no sábado no Diário Oficial retirou a quantia do superávit da administração municipal e o transferiu ao orçamento de subsídios concedidos às empresas que operam o transporte público em São Paulo. A política já consumiu um terço da Secretaria Municipal de Transportes, de R$ 1,95 bilhão.Com a nova injeção de recursos e considerando o valor em caixa para subsídios no dia 30 do mês passado, Kassab já aumentou em 70% os recursos para subsídios em relação ao que previu e a Câmara Municipal aprovou para todo o ano de 2008. De R$ 350 milhões, o valor pulou para, pelo menos, R$ 595 milhões. Os remanejamentos são feitos sempre por meio de decretos do prefeito.A quantia supera em R$ 65 milhões aquilo que, no início de outubro, a Prefeitura previa que seriam necessários até o fim do ano para pagar a conta. À época, a expectativa era de que em 2008 as compensações tarifárias consumissem cerca de R$ 530 milhões.No projeto de orçamento para 2009, Kassab alocou R$ 600 milhões em compensações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.