Suíça condena à prisão perpétua brasileiro que estuprou criança

Em 2002, homem espancou mulher de 77 anos e depois abusou de sua neta, na época com 4 anos

Efe,

26 de maio de 2011 | 15h57

GENEBRA - Um brasileiro de 30 anos que em 2002 estuprou uma menina de quatro na cidade suíça de Lucerna foi condenado à prisão perpétua após o Tribunal Federal suíço rejeitar nesta quinta-feira, 26, um último recurso. O homem, que à época do crime estava com 21 anos, tinha um encontro com um traficante de cocaína, mas errou de apartamento e bateu na porta de outro imóvel. Nessa casa estava uma mulher de 77 anos e sua neta, de 4. Após bater na avó até deixá-la inconsciente, o homem estuprou a menina.

 

O agressor foi detido e identificado por meio de um teste de DNA. Em um primeiro momento, ele foi condenado à prisão perpétua, mas após a apresentação de um primeiro recurso ao Tribunal Federal, esta sentença foi cancelada e o tribunal cantonal de Lucerna o condenou a sete anos de prisão por estupro, relações sexuais com crianças e lesões corporais graves. Ele também foi obrigado a passar um tratamento psicoterapêutico em uma clínica.

 

Nesta quinta-feira, no entanto, o Tribunal Federal confirmou a condenação à prisão perpétua depois de uma investigação realizada em 2010 ter mostrado, de acordo com os analistas, que o homem era "incurável" e que o tratamento não podia ter êxito.

Tudo o que sabemos sobre:
estuproSuiçaLucernapedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.