Suíço é preso na Bahia por pedofilia e tráfico de mulheres

A Polícia Federal prendeu terça-feira, em Porto Seguro, a 707 quilômetros de Salvador, o suíço Robert Kuhn, de 56 anos, acusado de pedofilia e tráfico internacional de mulheres. A PF havia recebido denúncias de menores sobre as atividades de Kuhn e obteve na Justiça um mandado de busca. Ao revistar a casa do suspeito, encontrou farto material pornográfico. Cartões de boates da Europa são evidências, para os agentes federais, de que o suíço agenciava o envio de brasileiras para se prostituírem na Europa.Garotas que participaram das sessões de fotografia na casa do acusado disseram na polícia que depois da escola iam para a casa de Kuhn para "chupar laranja e tirar fotos". As famílias das vítimas, moradoras da periferia, recebiam de R$ 400 a R$ 2 mil pelas imagens. A PF conseguiu obter o depoimento das vítimas e familiares graças ao apoio do Conselho Tutelar da Criança de Porto Seguro.Kuhn disse que já havia sido preso na Suíça por tráfico de drogas e "apenas" chamava as meninas para fotografá-las. Sobre a acusação de tráfico internacional de mulheres, afirmou ter enviado duas mulheres apenas para se casar com amigos na Europa. Kuhn permanecerá preso na PF de Porto Seguro até a Justiça decidir onde ele aguardará o julgamento. Pode ser condenado a uma pena de até 12 anos de prisão.No sábado chega a Salvador o relator especial da Comissão de Direitos Humanos da Organização da ONU Miguel Petit, para investigar a questão dos crimes sexuais contra menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.