Superlotação é estopim de rebeliões em Rondônia

A superlotação é o estopim dos motins e fugas no Presídio Urso Branco, em Porto Velho, informou hoje a Superintendência de Assuntos Penitenciários (Susep) de Rondônia. Ao todo, a instituição abriga 800 detentos, mas sua capacidade é de 360. A lotação excessiva gera conflitos entre os grupos que disputam o poder na unidade. Na maior rebelião já ocorrida no presídio, ontem, 27 presos foram mortos. Hoje cedo, o Instituto Médico Legal concluiu a identificação dos corpos. O governo ainda não divulgou as medidas que tomará para prevenir novas rebeliões no Urso Branco, mas acelerou a construção de dois minipresídios no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.