Supermotos destinadas à segurança do Pan já são disputadas

Polícia Rodoviária Federal espera ficar com as 250 motos Harley-Davidson

Felipe Werneck

11 Julho 2007 | 23h03

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) pagou R$ 28 mil por cada uma das 250 motocicletas Harley-Davidson que serão usadas no esquema de segurança dos Jogos Pan Americanos. Nesta quarta-feira, durante a apresentação dos modelos, com a presença do ministro da Justiça, Tarso Genro, começou a disputa para saber quem vai ficar com a frota após a competição. "A gente vai lutar com força, unhas e dentes para que as motocicletas permaneçam na Polícia Rodoviária Federal. É a nossa grande luta. Quem vai decidir é a Senasp", declarou o inspetor Alexandre Castilho, coordenador de comunicação da Operação Pan 2007 da PRF. São motos de 1.690 cilindradas, zero quilômetro, modelo Road King Police. "É a moto ideal, mais indicada no mundo para atividades de fiscalização. No mercado, custa facilmente r$ 60 mil. Na licitação, foram compradas por R$ 28 mil", disse Castilho. A PRF convocou 2 mil policiais para atuar durante os jogos Pan Americanos, cerca de 20% do efetivo nacional. Além das 250 motocicletas novas, eles terão 120 viaturas e 5 helicópteros. Os policiais foram treinados pela Divisão de Combate ao Crime (DCC) da corporação. A PRF prevê aumento de 50% do fluxo de veículos nas estradas fluminenses nas próximas semanas, por causa das férias escolares, do Pan e da "instabilidade" nos aeroportos. Sensação "Nada é perfeito, mas o esquema de segurança está muito bem preparado, tecnicamente ajustado. Todas as instâncias policiais estão coordenadas, inclusive as delegações que estão chegando já manifestaram sua tranqüilidade e satisfação", declarou o ministro da Justiça. O secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Fernando Corrêa, recusou-se a informar o número total de policiais envolvidos no esquema de segurança. "Daqui para a frente não se informa mais nada de dados. Esse número (de homens da Força Nacional de Segurança) que está operando nós não vamos dar. Nós temos um plano desde janeiro que envolvia, envolve seis mil homens para garantir o antes, o durante e o pós-Pan também", declarou Corrêa. "Está tudo pronto. A sensação na delegações é de segurança, alguns estão achando até excessivo, então isso mostra que se percebe o serviço da segurança nos jogos."

Mais conteúdo sobre:
Pan segurança Rio Harley-Davidson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.