Suplicy, de novo, defende prévias para escolha do PT

Como em 2002, senador quer disputa interna para eleição em SP e se coloca como postulante à indicação do partido

Fernando Gallo, O Estado de S.Paulo

20 Julho 2011 | 00h00

Para irritação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) decidiu pedir a realização de prévias no PT paulistano para a escolha do candidato do partido na disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2012.

O pleito foi levado ao presidente do PT municipal, vereador Antonio Donato, na noite de anteontem. Na conversa, Suplicy também afirmou sua intenção de colocar seu nome na disputa interna como pré-candidato.

"Queria trocar ideias sobre a importância de realizar prévias", afirmou o senador. "E acho que é legítimo que eu também possa ser considerado como candidato."

O tema das prévias é desconfortável no PT desde que o próprio Suplicy insistiu em uma eleição interna para a escolha do candidato a presidente em 2002. Na ocasião, enfrentou Lula e perdeu por 84,4% a 15,6%. Muitos petistas acreditavam, como creem agora, que o candidato deveria ser escolhido por consenso - a defesa nas prévias desgastou o senador dentro da sigla.

Mais de um ano antes da eleição, as correntes petistas trabalham por um acordo que evite a eleição interna. Apesar disso, aliados da senadora Marta Suplicy indicaram que, se o ministro da Educação, Fernando Haddad, entrasse na disputa, ela pediria prévias. Na semana passada, o ministro disse ao Estado que seu nome está na disputa.

Marta e Haddad são os dois nomes fortes que anunciaram a disposição de concorrer. O ministro tem Lula como cabo eleitoral. O presidente pretende impor sua vontade. Os aliados de Marta usam as prévias como forma de mostrar que a militância prefere a senadora a Haddad.

Além deles, os deputados Jilmar Tatto e Carlos Zarattini já anunciar a disposição de concorrer. O ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, é outro que pode entrar na disputa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.