Suplicy defende asilo a Battisti; Sarkozy conversou com Lula

Após convocação do embaixador brasileiro em Roma, senador se dispõe a ir a Itália esclarecer a decisão

Mônica Aquino, do estadao.com.br,

15 de janeiro de 2009 | 14h01

A decisão do governo brasileiro de conceder asilo político ao ativista italiano Cesare Battisti pode ter tido influência do presidente da França, Nicolas Sarkozy. O presidente francês conversou sobre o caso com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante sua viagem ao Brasil em dezembro do ano passado, afirmou ao estadao.com.br o senador Eduardo Suplicy (PT). Defendendo a decisão do ministro da Justiça, Tarso Genro, o senador afirmou que a decisão foi "acertada" e "soberana".   Veja também: Battisti deve sair da prisão nesta quinta Ideologia não influenciou concessão de refúgio, diz Tarso Processo do Ministério Público que defere extradição de Battisti  Itália chama embaixador brasileiro e reclama de asilo a Battisti Governo italiano apela a Lula para rever refúgio dado a escritor Advogados de Battisti comemoram decisão de Tarso Battisti é autor de romances policiais na França     Sarkozy e a primeira-dama Carla Bruni estiveram no País em dezembro e passaram férias na Bahia. Carla Bruni é amiga da escritora francesa Fred Vargas, amiga pessoal de Battisti. Além disso, Suplicy colocou-se à disposição dos partidos e do parlamento italiano para esclarecer a decisão de conceder asilo político a Battisti. "Quem diz que a decisão foi precipitada não leu a decisão do ministro", diz Suplicy, fazendo referência a Tarso Genro.   "Os fundamentos do ministro estão bem argumentados", defendeu Suplicy. O senador considera a decisão de "bom senso" e "ponderada". O senador negou que a decisão do governo brasileiro seja uma hostilidade a Itália. A tradução diplomática da crise e da insatisfação do governo italiano ficou caracterizada com a convocação pela Farnesina do embaixador brasileiro em Roma, Adhemar Bahadian.   O Diário Oficial da União desta quinta traz a decisão do ministro Tarso Genro. Assim, Battisti deve deixar a prisão nesta quinta-feira. O italiano estaria com hepatite B, segundo Suplicy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.