Suplicy dormiu no Carandiru

O senador Eduardo Suplicy (PT) dormiu, na noite de ontem, na Casa de Detenção, a pedido dos próprios presos e familiares, que temiam uma invasão da Tropa de Choque da Polícia Militar. O senador passou a noite no sofá da sala do diretor-geral do presídio e disse que o clima, durante a madrugada, foi de total tranqüilidade. "Desde a noite de ontem, a Casa de Detenção permanece tranqüila, sem qualquer incidente de maior gravidade", disse ele hoje cedo. "Pude observar que não havia nenhum barulho que denotasse anormalidade." Para dormir na Casa de Detenção, Suplicy pediu que sua secretária lhe trouxesse roupa de cama e comida. "Fizeram a gentileza de mandar da minha casa um capeletti ao brodo, que veio em quantidade suficiente para eu dividir com mais duas pessoas", disse. Além disso, frutas foram enviadas ao senador, que comeu em seu café da manhã. Suplicy foi dormir à 1h30 e acordou às 5h50.Na manhã de ontem, o senador Eduardo Suplicy foi cercado por cerca de 50 mulheres que queriam informações sobre os detentos que passavam por uma revista geral, supervisionada pela Tropa de Choque. O senador garantiu que nenhum detento seria agredido pelos policiais e acalmou as mulheres.O senador afirmou que não conheceu nenhum membro do Primeiro Comando da Capital (PCC), durante a madrugada, e que também não ouviu comentários sobre uma nova rebelião. O único imprevisto registrado pela direção da Casa de Detenção foi a troca de celas, durante a rebelião, dos mais de 7 mil presos, dificultando o serviço de contagem e o envio de presos aos fóruns da capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.