Suposta bomba era um toca-fitas

A equipe do Grupo de Ações Táticas e Especiais da Polícia Militar (GATE) identificou o material amarrado ao corpo de um homem, feito refém esta manhã em um seqüestro-relâmpago, em Santo André, como um toca-fitas. Os bandidos renderam a vítima e amarram ao seu corpo supostos explosivos que, segundo eles, seriam acionados por controle remoto.Os ladrões teriam mandado o homem retirar dinheiro em uma agência bancária, mas ele desobedeceu as ordens dos bandidos e se refugiou na igreja da Praça do Carmo, na região central de Santo André. A equipe do GATE foi chamada e a área isolada.O homem, visivelmente abalado, foi levado pela polícia para um hospital na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.