Suposto líder do PCC é preso em Alagoas

A Polícia Civil de Alagoas apresentou, hoje pela manhã, o ex-presidiário João Marcelo da Silva, preso no município de Santana do Mundaú, a 108 quilômetros de Maceió. João Marcelo é acusado de ser um dos um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), que matou vários PMs em São Paulo e arquitetou uma tentativa de fuga no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes. Segundo a polícia, João Marcelo da Silva estava em Alagoas, onde nasceu, para visitar familiares. Ele é conhecido na facção criminosa como Coronel Tatuagem. "Os membros do PCC usam patentes como se fizessem parte de uma instituição. Como coronel, ele ocupava um alto posto de comando", explicou o delegado Antônio Cardoso, que comandou a operação. João Marcelo nega as acusações e diz que nunca ouviu falar em PCC e muito menos no tal Coronel Tatuagem. "Já fui preso oito vezes em São Paulo, mas nunca por estar envolvido com tudo isto que eles estão falando aí. E por tudo que fiz já paguei. Tanto que nem foragido eu estava", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.