Suposto pai reivindica guarda de bebê abandonado em buraco de tatu no PR

O suposto pai do bebê que foi abandonado em uma toca de tatu logo depois de nascer, no domingo, em Laranjeiras do Sul, a cerca de 370 quilômetros de Curitiba, no centro-sul do Paraná, apareceu nesta terça-feira, 10, e está reivindicando a guarda da criança. O menino, que tinha oito meses de gestação, foi encontrado cerca de 24 horas depois do abandono e agora recupera-se bem no Hospital São Lucas, onde tornou-se alvo das atenções de todos.A presidente do Conselho Tutelar da cidade, Maria de Lurdes Pereira Matoso, disse acreditar que, em dois ou três dias, o bebê deverá receber alta e poderá ser encaminhado para a casa de passagem, à espera da decisão da Justiça. O suposto pai, que é solteiro e mora com a mãe e irmãs, foi orientado sobre os exames necessários para comprovar a paternidade. Vários telefonemas foram dados ao Conselho Tutelar de pessoas interessadas na adoção do menino.Segundo Maria de Lurdes, depois de passada a tensão inicial, a mãe, Lucinda Ferreira Guimarães, de 40 anos, também quer ficar com a criança. "É visível o arrependimento", acentuou. A presidente do conselho afirmou ter conversado com ela, que está sob a guarda policial para evitar agressões. Ontem, o delegado Lino Lopes tentava, junto à Justiça, a decretação da prisão temporária, sob acusação de tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe.A mãe disse que não pretendia que ninguém, muito menos o homem com quem estava vivendo atualmente, soubesse que estava grávida. E fez de tudo para esconder. Quando a criança deu sinais de que nasceria prematuramente, ela foi até o matagal. Depois do nascimento, colocou o bebê no buraco. "Ela disse que não pensou em nada, apenas viu o buraco e colocou lá", disse Maria de Lurdes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.