Surgem denúncias de propina na coleta de lixo de Santo André

O promotor público de São Paulo Amaro José Tomé Filho, que participa das investigações sobre a existência de cobrança de propina no sistema de transporte coletivo no município de Santo André, na região do Grande ABCD paulista, disse hoje que o Ministério Público recebeu denúncias de corrupção também nas áreas de coleta de lixo e de obras públicas na cidade. A revelação foi feita em entrevista exclusiva concedida à reportagem da Rádio Eldorado AM/FM de São Paulo.Segundo ele, o Ministério Público vem investigando possíveis favorecimentos a empresas que estariam ligadas a integrantes da administração do PT em Santo André. "Como são muitos os casos, nós estamos ainda na fase intermediária da apuração. A partir desta semana, nós iremos estudar nossa pauta de investigação e verificar qual o melhor caminho a ser tomado". O promotor informou que esteve no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e que lá foram confirmadas irregularidades no contrato de coleta de lixo firmado entre a empresa Rotedale, que pertence ao empresário Ronan Maria Pinto, um dos denunciados no esquema de propina, e a Prefeitura de Santo André.Sobre as denúncias de corrupção no sistema de transporte coletivo no município, Tomé Filho afirmou que os empresários achacados pelo esquema já foram ouvidos pela promotoria e confirmaram todas as denúncias. Segundo ele, o Ministério Público tem prazo até amanhã para interpor recurso contra a decisão da Justiça de Santo André, que não atendeu ao pedido de prisão dos supostos envolvidos na cobrança de propina. De acordo com o promotor, essa interposição será feita através de um ´recurso em sentido estrito´ vai ser encaminhada diretamente ao Tribunal de Justiça de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.