Surto de rotavírus suspende aulas em cidade do Paraná

Um surto de rotavírus fez com que o atendimento em duas creches e as aulas em nove escolas do município de Mamborê, a 480 quilômetros de Curitiba, no centro-oeste do Paraná, fossem suspensas pelo menos durante esta semana. De acordo com Bruna Carolina Litron, enfermeira do Posto de Saúde da cidade, o problema agravou-se há 15 dias e já levou cerca de 200 pessoas a procurarem o serviço de saúde, apresentando vômito, diarréia, febre ou dor de cabeça. Comum em crianças até 5 anos, a doença estendeu-se para outras idades."A criança pegava o vírus na escola e levava para casa", disse Bruna. O clima seco e frio é propício para a disseminação do vírus. Sua propagação é facilitada pela falta de cuidados higiênicos, como lavar as mãos após o uso do banheiro e antes de se alimentar, ou pela falta de ventilação. De acordo com a enfermeira, normalmente vinham sendo registrados de 10 a 15 casos por semana no município. "Mas o número aumentou muito e chegou a ter 15 casos por dia", acentuou. Segundo ela, no ano mais grave foram observados 112 casos. Agora, só neste ano, já são quase 200.Depois dos exames realizados em algumas amostras, supõe-se que cerca de 60% das pessoas que têm aparecido com os sintomas tenham o rotavírus. Muitas precisam permanecer internadas no hospital para a reidratação. Primeiramente foi pedida apenas a paralisação dos trabalhos nas creches. Mas, não foi suficiente porque pelo menos cinco alunos em cada sala de 1ª a 4ª séries apresentaram sintomas, sobretudo diarréia. Nas crianças maiores, havia pelo menos um doente por série. "Tivemos que tomar medidas para evitar aglomerações", disse Bruna. Até sexta-feira, todas as salas de aula passarão por desinfecção e higienização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.