SUS deve fornecer remédio de uso experimental

O Sistema Único de Saúde (SUS) tem de arcar com tratamento médico mesmo nos casos em que o remédio prescrito for de uso experimental. O entendimento é da 21ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Os desembargadores condenaram o Estado gaúcho e o município de Viamão a fornecer solidariamente um remédio adequado ao quadro clínico de uma paciente, vítima de Lupus Eritematoso Sistêmico.O quadro clínico da paciente se agravou e ela sofreu um enfarte. Os médicos prescreveram a medicação Rituximab 500 mg, com a indicação de que se não tomasse o medicamento o quadro poderia ficar ainda pior, inclusive com risco de morte.A primeira instância negou o fornecimento do remédio por entender que se tratava de medicamento de uso experimental. A paciente recorreu ao Tribunal de Justiça gaúcho.Em decisão monocrática, a desembargadora Liselena Schifino Robles Ribeiro acolheu o pedido. O Estado e o município recorreram, mas ela manteve a decisão. Esclareceu que se a única forma de tratamento é experimental, que ela seja garantida pelo Estado. Votaram de acordo com a relatora os desembargadores Marco Aurélio Heinz e Genaro Baroni Borges.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.