Suspeitas no caso Staheli recaem sobre colega de trabalho

A Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro chegou ao nome do provável mandante do assassinato do casal de norte-americanos Zera Todd, de 39 anos, e Michelle Staheli, de 34, no ano passado. A motivação do crime seria profissional. Um colega de trabalho do executivo da Shell que está no exterior teria contratado para executar o crime operários que trabalharam na casa da família Staheli antes da sua mudança para o Brasil. Os suspeitos têm passagem pela polícia. O casal Staheli foi assassinado enquanto dormia dentro de casa, em um condomínio de luxo, na zona Oeste, do Rio de Janeiro, há dois meses e meio. A polícia levantou 15 hipóteses, investigou empregados, o motorista e até o filhos do casal. Diante das novas evidências, nesta quinta-feira será pedida a quebra do sigilo telefônico de 14 suspeitos de envolvimento no crime. As informações são do Bom Dia Brasil, da TV Globo, e Fala Brasil, da TV Record.Solução do caso Staheli está próxima, diz a polícia Agora, polícia quer entender a vida profissional de Staheli Crianças Staheli vão embora depois de confusão na Justiça Caso Stahelli "na estaca zero". Opinião do chefe da polícia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.