Suspeito da morte de Toninho usava nome falso

O fugitivo "Cigano", preso em Bertioga como suspeito de matar o prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, usava um documento roubado de Marcelo Metidieri Meirelles, em julho do ano passado, durante assalto à residência de temporada da vítima, no Sítio São Pedro, em Guarujá. Ao ouvir seu nome ligado ao crime de Campinas, citado nas emissoras de rádio e televisão, pela manhã, Metidieri, que mora em Alphaville, tratou de entrar em contato com a Delegacia de Bertioga, a fim de esclarecer o caso. Segundo informou o delegado titular do município, Elpídio Ferrarezi, Cigano, que é fugitivo da Cadeia Pública de Praia Grande (antigo Dacar-10), onde foi preso por roubo, praticado no município de Peruíbe, foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma e removido ao meio-dia para Campinas, onde deverá ser ouvido sobre a suspeita de assassinato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.