Arquivo/AE
Arquivo/AE

Suspeito de assalto que causou morte de menina é detido

Adolescente de 17 anos foi preso em Dracena, interior de São Paulo; o outro suspeito continua foragido

Tatiana Fávaro, de O Estado de S. Paulo, e Fábio Michel, da Central de Notícias,

23 de maio de 2009 | 16h51

O adolescente K.O.A., de 17 anos, suspeito de participar do assalto que vitimou a menina Gabriela Nunes de Araújo, de 8 anos, em Rio Claro, interior de São Paulo, na última terça-feira, 19, foi detido no início da manhã deste sábado, 23, na cidade de Dracena, noroeste paulista (cerca de 650 quilômetros da capital). À tarde, ele foi levado para Rio Claro, onde a Promotoria pediu a imediata internação na unidade da Fundação Casa.

 

Veja também:

link Câmeras não gravam assalto à casa da família

link Menino recebe fígado de garota morta no interior

 

K. estava na casa de parentes do outro suspeito do crime, de 20 anos, que conseguiu fugir. Segundo informações da rádio CBN, ao perceber a movimentação dos policiais, K. tentou fugir para o telhado, mas escorregou e caiu, sofrendo ferimentos leves. O suspeito teria confessado informalmente sua participação no crime em Rio Claro, que resultou na morte da menina, dois dias depois.

 

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais de Rio Claro, Paulo Nabuco, não deu detalhes da ação policial. Disse apenas que, com a prisão do menor infrator, a Polícia Civil havia dado "uma resposta à sociedade." Nabuco também não deu nenhuma informação sobre as investigações para prender o outro suspeito.

 

De acordo com a advogada de K., Simone Widmer, o adolescente prestará depoimento na próxima segunda-feira. O suspeito já havia sido detido pela polícia no início do ano, acusado de participar de outro assalto.

 

Tiro na cabeça

 

Gabriela morreu depois de ser atingida por um tiro na cabeça durante tentativa de assalto à casa de sua família, por volta das 21 horas da terça-feira. A criança estava com a babá e a irmã gêmea, e os pais não estavam em casa. Segundo informou a Polícia Militar, os homens teriam pulado um muro protegido por cerca elétrica e câmeras de segurança para chegar ao local.

 

Durante o assalto, o alarme da residência disparou. Um dos assaltantes teria se assustado e disparado a arma, atingindo a menina. Os bandidos fugiram em um veículo roubado perto da residência, encontrado posteriormente pela polícia.

 

Gabriela passou dois dias internada, em estado grave, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A morte cerebral foi confirmada na quinta-feira, 21. Vários órgãos da menina foram doados pela família.

 

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.