Suspeito de chefiar tráfico na Mangueira é denunciado por lavagem de dinheiro

Condenado em quatro varas, Polegar e mais sete 'laranjas' responderão por formação de quadrilha

Solange Spigliatti, Central de Notícias

06 de dezembro de 2010 | 11h46

SÃO PAULO - O traficante Alexander Mendes da Silva, conhecido como "Polegar", e outros sete laranjas foram denunciados pelo Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro, na sexta-feira. Os oito réus responderão a ação penal na 2ª Vara Criminal de Santa Cruz pelos crimes de quadrilha e lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

A denúncia relata a forma como Polegar agiu, a partir de 2003, para ocultar da Justiça o lucro obtido por ele na condição de chefe do tráfico no Morro da Mangueira.

 

Condenado a prisão por quatro varas criminais por crimes cometidos entre 1994 e 2002, o criminoso, atualmente foragido, registrou imóveis e veículos em nome de pessoas sem antecedentes criminais.

 

A ação revela "absoluta discrepância" entre a renda declarada ao Fisco e os bens dos réus, segundo o MP.

Além de Polegar, foram denunciados sua namorada, Viviane Sampaio da Silva, os pais dela, Genival Gerônimo da Silva e Antônia Maria Aragão Sampaio, o irmão Victor Sampaio Gerônimo, além dos laranjas Lúcia Maria de Sousa Melo, Elci Pontes Ferreira e Jorge Pontes Ferreira Júnior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.