Suspeito de comandar ataques do PCC em São Paulo é preso

Agentes da Polícia Civil prenderam, na madrugada desta terça-feira, um dos suspeitos de comandar os ataques ordenados pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital em São Paulo. De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, Lourival Silva de Paula foi preso quando usava um telefone público na região de Americanópolis, zona sul da capital paulista. Ele já cumpriu pena por roubo e formação de quadrilha. Com o suspeito, os policiais apreenderam uma agenda com telefones de integrantes do PCC.SedeUm clube onde eram promovidos bailes funks, na periferia de São José dos Campos, Vale do Paraíba, foi localizado nesta manhã pela Polícia civil e apontado como sede do PCC na região. No local havia armas, munições, carregadores e oito rádios de comunicação HT. Duas pessoas suspeitas de integrar a facção foram presas.Nas paredes do clube, chamado Planeta Show, havia frases como "sede do PCC", "promotor vai morrer", além de xingamentos à polícia. A descoberta foi feita por policiais da Delegacia de Investigações Gerais de São José dos Campos, onde os dois acusados prestam depoimento. Onda de violênciaOntem, o PCC ordenou o fim das rebeliões nos presídios do Estado e a suspensão dos atentados a quartéis, delegacias policiais, fóruns, agências bancárias e estações do metrô, que deixaram 96 mortos e 63 ônibus queimados em todo o Estado. A ordem foi dada após uma longa conversa entre o líder da facção, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, três representantes do governo - um coronel da PM, um delegado e um corregedor - e uma advogada. A Secretaria da Administração Penitenciária nega o acordo, confirmado à reportagem do Grupo Estado por duas fontes do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.