Suspeito de integrar grupo de extermínio é preso no Rio

Aldair de Oliveira Botelho estava foragido desde 2007, quando foi decretada prisão temporária

Solange Spigliatti, estadao.com.br

15 de janeiro de 2009 | 07h41

Aldair de Oliveira Botelho, de 43 anos, suspeito de ser integrante de um grupo de extermínio atuante em Nova Iguaçu, no Rio, segundo a polícia civil, foi preso nesta quarta-feira, 14. Ele é acusado de, junto com o policial civil de Minas Gerais João Batista Salerno, e Allan da Silva Macedo Correa, ter assassinado Guanair de Oliveira Costa Silva, na época com 28 anos. O crime ocorreu no dia 28 de dezembro passado, por desavenças entre Guanair e demais integrantes do bando liderado por João Salerno. Segundo os agentes, existe a suspeita de participação de Guanair no grupo. A prisão ocorreu após policiais da delegacia da Posse receberem informações que Aldair iria visitar parentes no bairro Carmari, em Nova Iguaçu. Ele foi abordado quando chegava à casa de sua esposa. Aldair estava foragido da Justiça desde dezembro de 2007, ocasião em que foi decretada sua prisão temporária pela 4ª Vara Criminal da Comarca de Nova Iguaçu.

Tudo o que sabemos sobre:
grupo de extermínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.